Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 23 de outubro de 2019

Regulamentos de modalidades são atualizados para o ciclo 2020

O ciclo 2020 do Cavalo Crioulo chegou e com ele vieram importantes mudanças. Os regulamentos da Doma de Ouro, Freio do Proprietário, Freio Jovem e Paleteada foram atualizados. Em outros casos, como nas regulamentações para Concentração de Machos e Revisão Coletiva, não houve modificações nas regras, apenas atualização de algumas das nomenclaturas utilizadas.

Com os regulamentos atualizados e publicados no site, todos terão 30 dias (a partir de hoje, dia 23 de outubro) para se adequarem às mudanças. Para consultar, clique aqui.

Veja abaixo as modificações realizadas nos regulamentos de provas.

GERAL
– Em todas as provas de nível “E” é permitida a retirada do animal de pista por qualquer motivo. Neste caso o ginete deverá entregar ao inspetor técnico responsável pela prova a Declaração de Retirada de Animal de Prova Oficial assinada (não precisa reconhecimento de firma). É aconselhável, portanto, que o ginete sempre carregue consigo pelo menos uma declaração, caso precise ou deseje se retirar da prova;
– Em qualquer modalidade todos os ginetes menores de 18 anos devem entregar ao inspetor técnico responsável pela prova um Termo de Responsabilidade assinado (com reconhecimento de firma) pelo seu responsável legal e este documento deverá ser anexado à Súmula de Eventos. Este termo está disponível no site em Eventos>Regulamentos.

DOMA DE OURO
– Na etapa Redomão do Núcleo demos ênfase em que os animais devem ter 2 anos na data de início da prova (art. 8º);
– Para a prova ser oficial deve-se ter no mínimo 15 animais que tenham entrado em pista, ou seja, aqueles animais que só foram admitidos não contam (art. 10);
– Na etapa Redomão da ABCCC os animais devem estar confirmados na data da revisão (art. 11).
– A segunda inscrição na etapa Redomão da ABCCC não terá mais os 50% de desconto que antes era dado (art. 12, parágrafo único);
– Incluímos um modelo de revisão dos animais, feito pela subcomissão da modalidade (anexo I);
– Quando um animal for reprovado no teste de sujeição não poderá ser substituído por outro (art. 17, alínea e);
– Os animais reprovados na revisão da etapa Redomão da ABCCC não podem participar da etapa Um Ano de Freio (art. 17, alínea g);
– Os conjuntos que se apresentarem com arreamento e/ou pilchas inconforme com o exigido serão desclassificados (art. 18, alínea d);
– Todas as etapas são julgadas por dois jurados e nas etapas Redomão da ABCCC e Um Ano de Freio deverão ser Lista 1 e/ou ginetes vencedores do Freio de Ouro do último ano (art. 19, §2º e art. 58);
– Na prova de mansidão [ginete deverá parar o cavalo no centro da pista, apear, largar o cabresto e caminhar fechando uma volta no cavalo, erguer e sustentar brevemente as mãos e patas de sua montaria uma por vez] (art. 27);
– Art. 38 – Após o término de cada fase o ginete deverá se apresentar ao inspetor técnico e retirar o bocal para que ele faça a inspeção do mesmo. Parágrafo Único – Após a prova de campo os conjuntos deverão se apresentar aos jurados e posteriormente ao inspetor técnico para a inspeção do bocal;
– Agora teremos 60 vagas na Etapa Redomão da ABCCC (antes eram 50) e seguimos com a classificação por ranking (art. 52).

FREIO DO PROPRIETÁRIO
– O ciclo passou a ser da Final de um ano até 60 dias da próxima Final (art. 2º);
– O concorrente pode participar somente de uma categoria por ciclo (aquela que credenciar pela primeira vez no ciclo) (art. 7º), mas caso deseje o ginete poderá trocar da categoria A para B desde que tenha credenciado na B depois, sendo desconsiderada a média obtida na categoria A. (art. 7º, §1º e §2º);
– Agora irmãos dos proprietários também podem participar (art. 8º, §1º);
– O ponto de corte para a fase final na etapa Final das categorias A são os 14 melhores conjuntos e nas categorias B os 10 melhores conjuntos;
– Pelo menos dois dos jurados do trio das credenciadoras deverão integrar as Listas 1 ou 2 da ABCCC (art. 14).

FREIO JOVEM
– Caso haja a troca de ginete o substituto deverá se enquadrar na categoria na qual o animal está classificado (art. 8º);
– Os ginetes das categorias Infantil A Feminino e Masculino deverão usar estribos fechados (art. 9º, inciso XIII);
– Pelo menos dois dos jurados do trio das etapas Classificatórias deverão ser integrantes das Listas 1 ou 2 da ABCCC (art. 10);
– Cada categoria tem 24 vagas para a Final (art. 16);
– Na etapa Final os 12 melhores conjuntos de cada categoria passarão à fase final da prova.

PALETEADA
– Força A: Seguiremos com 3 classificatórias, mas agora duas classificam 30 duplas cada e uma classificam 20 duplas. As que classificam 30 duplas ficarão com 3 duplas reservas cada e a que classifica 20 duplas ficará com 2 duplas reservas (art. 7º, §1º e §2º);
– Força A: Na Classificatória a condição de classificado é do conjunto cavalo/cavaleiro, portanto não é possível trocar de ginete para a Final uma vez que a dupla esteja classificada (art. 8º);
– Força B: Agora teremos ranking! As 40 melhores duplas participarão da Final e teremos 10 duplas reservas para caso de vagas remanescentes. (art. 11 e §3º);
– As embocaduras poderão ser temporárias somente nas Credenciadoras, na Final devem ser permanentes (art. 12).
É obrigatório nomear o ginete que vai correr com o colete e este vai correr a primeira volta pelo lado direito do brete e ir trocando de lado até o fim da etapa. Caso durante a prova os concorrentes da dupla troquem de colete estes terão sua corrida zerada (art. 17 e parágrafo único);
– Será penalizado com 50% da nota a dupla que um ou dois integrantes der as costas para a pista em qualquer momento da prova após autorizado, com o intuito de usar essa ação como favorecimento em sua corrida (art. 39).

 

Fonte: Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC)

Foto: Felipe Ulbrich