Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 29 de julho de 2017

Guto Freire conta como se preparar para a grande final

O ginete Guto Freire classificou seis cavalos para a Grande Final em agosto, durante a Expointer, e apesar de confiante para a competição, contou que ainda sente o nervosismo todas as vezes em que vai entrar em pista. “Acredito que na hora em que o nervosismo parar é porque já não tenho mais aquele gostinho de querer ganhar”, disse ele.

Cinco vezes ginete destaque, Guto Freire acumulou prêmios como três vezes Freio de Ouro, Bronze e Prata; um Bocal de Ouro, quatro vezes Bocal de Prata e seis Bocal de Bronze. Guto contou um pouco da sua experiência como ginete do Freio de Ouro, apostou em quem será o campeão de 2017 e ainda deixou dicas para quem está começando a competir.

Quer saber mais sobre o ginete Guto Freire? Então confira a entrevista abaixo.

 

Freio de Ouro: Diferente do ano passado em que o Harmonia Temprano era o favorito do público, esse ano parece que não temos um nome em evidência. E você tem alguma aposta para campeão/campeã do Freio 2017?

Guto: O ciclo 2017, como todos os anos, está muito competitivo. Diferente dos outros, não temos um favorito. Nas fêmeas até tivemos a AM Gaita que ganhou o Bocal e veio andando bem, mas nos machos não. Um ciclo muito disputado e que com certeza continuará assim até a última etapa na paleteada.
Para candidato a ganhar o Freio eu vou apostar nos meus animais. Se eu não apostar em mim, quem é que vai apostar?! (risos) Dos meus cavalos acredito muito no Justiceiro do Mano a Mano, ele veio evoluindo muito do ano passado para cá. Foi finalista em 2016 e ficou em nono lugar, com 4 anos. Esse ano ele já ganhou a credenciadora e vinha ganhando a classificatória, mas acabou dando uma zebrinha e ficou em terceiro na Classificatória Aberta de Esteio. O cavalo está mais maduro, bonito de morfologia, teve a primeira fase muito boa e acredito muito nele. É um cavalo que tem potencial para estar entre os três primeiros. A minha aposta para o Freio 2017 vai no Justiceiro do Mano a Mano.

 

Freio de Ouro: Mesmo sendo um ginete com bastante experiência no Freio de Ouro, como você se sente quando começam as provas? Bate aquela ansiedade e nervosismo?

Guto: Por mais que já tenha bastante experiência o nervosismo está sempre presente. Acredito que na hora em que o nervosismo parar é porque já não tenho mais aquele gostinho de querer ganhar. Então o nervosismo acaba sendo o mesmo da primeira vez, se não maior, já que aumenta a responsabilidade de entrar em pista e fazer um bom papel. Apesar do nervosismo precisamos conseguir competir bem, controlando ao máximo para ter uma boa prova.

 

 

Freio de Ouro: É necessário uma preparação e dedicação mais intensa quando se tem vários animais disputando o Freio?

Guto: Por ter mais animais na prova, a preparação exige uma dedicação maior e acaba sendo mais desgastante. Preparar um ou dois animais é diferente de preparar 8 ou 10. Acaba requerendo mais tempo em cima deles, ou seja, mais tempo de trabalho, para estar com todos eles na ponta do casco no dia da final do Freio. Todos os cavalos precisam de uma dedicação especial e eu trabalho ao máximo para atender a todos.

 

Freio de Ouro: Você tem alguma preparação especial ou superstição antes de começar a prova?

Guto: Tenho uma cela favorita, que eu uso sempre para correr e competir. Ela é a que eu mais gosto e sempre ganhei os freios com ela. Tenho o costume de fazer o sinal da cruz antes de entrar nas provas pedindo proteção a Deus para que tudo corra bem durante a prova. Não tenho nenhuma superstição mais saliente, como usar a mesma camisa.

 

Freio de Ouro: Este ano temos cavalos e ginetes novos disputando a prova. Você teria alguma dica para esses ginetes que estão começando?

Guto: Minha dica é que os novos ginetes tenham tranquilidade e calma para encarar a final do Freio. Lógico que o Freio é muito disputado porque todo mundo quer ganhar, mas acaba não mudando muito do que são as outras provas. Não se preocupe tanto por ser a final e achar que tem que tirar demais do cavalo, o que é muito comum com quem está começando.

A final do freio também é mais disputada por conta do número de animais qualificados que estão competindo, mas a prova é a mesma, então a preparação também não muda. A tranquilidade que usou para classificar o cavalo tem que ser a mesma na final. Mais de mil animais correm o ciclo, mas apenas um de cada categoria é o grande ganhador. Então, para os ginetes novos que estão começando, indiferente do resultado que eles vão ter nessa final, eles devem seguir treinando e lutando até chegar seu momento de subir no lugar mais alto do pódio do Freio. Com certeza o sonho de ganhar o Freio de Ouro irá se realizar.

Por Patrícia Haddad | Canal Rural – Fotos: Fagner Almeida e Felipe Ulbrich