Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 29 de setembro de 2019

Em cima do cavalo não há distinções: Inclusão de Ouro conclui seu primeiro ciclo

Para a raça Crioula todo fim de ciclo reflete o quanto o ano foi importante para as modalidades. Mas ciclos que conhecem seu fim pela primeira vez causam sensação ainda maior de dever cumprido. Na pista onde os melhores ginetes do país realizam suas provas, a Inclusão de Ouro teve seus primeiros pódios de grandes campeões formado. Dez conjuntos admitidos tiveram chance de participar da prova que incentiva o contato e a participação de pessoas com deficiência (PCD) em competições oficiais do Cavalo Crioulo.

Há cerca de um ano, na final do Freio do Proprietário de 2018, o militar reformado de 28 anos Ítano Figueiredo realizou uma apresentação de tirar o fôlego dos presentes. Sem possuir nenhuma movimentação nas pernas e mostrando que para montar não há limitações, o ginete abriu portas: deu visibilidade à causa e encorajou aqueles que sempre tiveram vontade de participar de alguma seleção da raça.

Hoje, na final da sua própria categoria, Itano conquista a primeira colocação. No topo da Força A, com 28,900 pontos de média, o ginete representa o CDT Valadão com a fêmea colorada Nicoli do Puruã. Ele também entrou em pista com a tostada El Barquero 31 El Chaitén que, na premiação, lhe garantiu menção honrosa. O sucesso na desenvoltura do cavaleiro em pista é reflexo do seu esforço – ele treina pelo menos de oito a dez horas por semana.

Todos são iguais perante a raça Crioula
A palavra é igualdade. No momento em que os ginetes do Inclusão montam seus cavalos, nenhuma limitação é perceptível. A cada anúncio de título para o pódio, uma vibração genuína por parte de todos pode ser notada. “Apesar de ser uma competição, estamos aqui para agregar, somar”, diz Ítano, que ainda salienta o fato de que cada competidor passou por um caminho extraordinário para chegar até a final.

Para a vencedora da Força B, Josilene Martins, pisar no palco máximo da Raça representa a realização de um sonho. “Uma grande alegria poder contar com muitos participantes e saber que a nossa prova faz diferença na vida de todos”, conta a também coordenadora da modalidade. A importância da representação foi bem recebida pela prefeitura de Tavares/RS, onde mora Gabriel Alfaro, segundo lugar da Força A, com 23,450 pontos. O município disponibilizou um automóvel para transportar o ginete até Esteio, evidenciando que a inclusão é pauta de interesse público e corresponde aos anseios dessa comunidade.

Diversos competidores são praticantes da equoterapia. A profissional da área e psicóloga Claudia Rocha conta que o convívio com os cavalos tem possibilitado aos pacientes diversos benefícios. Entre eles, autonomia, autoestima, responsabilidade, noção de tempo e compromisso, são alguns dos feedbacks levados às sessões pelas famílias.

Matheus Barreto, segundo lugar na Força B, com 18,450, é um dos praticantes da terapia com equinos utilizada como tratamento. Porém, seu contato com o Cavalo Crioulo se dava somente nas sessões, já que não possuía nenhum animal para treino diário. Na noite de ontem (27), a Cabanha Mapocho o presenteou com um exemplar. Junto da representante do estabelecimento, Claudia Sant’Anna, a cerimônia contou com o seu grande ídolo, Lisandro Amaral. A iniciativa de doação da égua foi inspirada na mesma ação realizada anteriormente pela cabanha El Barquero, com outro participante.

A prova
Os conjuntos entram em pista para executar Andadura (tranco, trote e galope) e Escaramuça Livre (movimentos livres). Durante as etapas, oito pessoas permanecem no entorno da pista para auxiliar quaisquer eventuais intervenções, sendo quatro a cavalo e quatro a pé. A presença de treinadores e psicólogos também é liberada. Na decisiva, os competidores foram distribuídos entre Força A (ginetes que classificaram em primeiro ou segundo lugar) e Força B (demais competidores).

Resultado (ainda não homologado pela ABCCC):

Força B

1º lugar
Josilene da Silva Martins montando Caduco Cala Bassa
Nota: 23,000

2º lugar
Matheus Silveira Barreto montando Capão Extremidade
Nota: 18,450

3º lugar
Eva de Lourdes Correa da Silveira montando Turmalina do Trinta e Oito
Nota: 15,300

4º lugar
Marcio de Azevedo Velho montando Atlas do Pampa Livre
Nota: 10,700

Menção honrosa
Luan Ferreira Machado montando Atlas do Pampa Livre
Nota: 5,350

Força A

1º lugar
Itano Kelvin Pereira Figueiredo montando Nicoli do Puruã
Nota: 28,900

2º lugar
Gabriel Paiva dos Santos Alfaro montando Pétala do Liscano
Nota: 23,450

3º lugar
Fábio Santos dos Santos montando Potira da Telúria
Nota: 22,238

4º lugar
Dionatan Braz Martins montando BT Sacarrolha
Nota: 21,350

Menção honrosa
Itano Kelvin Pereira Figueiredo montando El Barquero 31 El Chaitén
Nota: 16,675

 

Fonte: Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC)

Foto: Mauricio Vinhas