Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 11 de dezembro de 2019

Com experientes e outros estreantes no Rédeas de Ouro, conheça o time de juízes

Em Campina Grande do Sul/PR, entre 9 e 14 de dezembro, seis juízes (cinco de pista e um de equipamento) serão responsáveis pelas avaliações no Rédeas de Ouro, a maior competição de rédeas exclusiva do Cavalo Crioulo. Para chegar aos nomes, a escolha foi feita pelo comitê oficial da Associação Nacional do Cavalo de Rédeas (ANCR). Na edição 2019, Ederson Machado, Giovani Bornancin, Marcos Antônio da Silva Júnior, Ricardo Heyman, Valter Lopes Junior e Wadson Lander formam um grupo que mescla “novos” e experientes juízes.


Da esq. à direita (cima): Marcos Antônio da Silva Jr, Ederson Machado, Giovani Bornancin; (baixo) Valter Lopes Jr, Ricardo Heyman e Wadson Lander

Natural de Portão/RS, Ederson Machado é juiz há dois anos e retorna ao Rédeas de Ouro 2019. Após julgar a prova no ano passado, além do final do Campeonato Gaúcho 2018, Super Stakes 2018 e Pré-futurity na final do Campeonato Gaúcho 2019, nutre a expectativa por mais uma prova. “Tem tudo para ser um grande show em pista. Um evento desse [que é] considerado de alto nível, para mim é igualado às grandes provas de Rédeas como Derby, Potro do Futuro, Campeonato Nacional e Super Stakes. Com certeza é uma responsabilidade enorme”.

Com dez anos de estrada, Marcos Antônio da Silva Junior (Campinas/SP) já trabalhou em Rédeas de Ouro, mas como juiz de equipamento. O ano de 2019, portanto, marca a transição às pistas. “Tenho acompanhado e julgado vários Crioulos com grande desempenho em provas da Associação Nacional do Cavalos de Rédeas (ANCR) e, com certeza, vai ser diferente no Rédeas de Ouro. Cada ano que passa o nível de cavalos e cavaleiros aumenta, tornando esse evento muito competitivo”, opinou o juiz que tem na bagagem eventos como Potro do Futuro ANCR e Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha (ABQM), Super Stakes ANCR, Derby e Campeonato Nacional ANCR e ABQM, e Congresso ABQM.

Para o paulista de Avaré, Ricardo Heyman, o Rédeas de Ouro 2019 será a sua quarta edição. Juiz da National Reining Horse Association (NRHA) há 12 anos, já trabalhou em todas as provas grandes de rédeas do Brasil. “Vejo o evento como um dos grandes do calendário da rédeas nacional. Me sinto muito honrado em ser convidado a julgar. É um evento de premiação muito significativa e muito bem organizado”, opinou.

O criador Valter Lopes Junior, natural de Rancharia/SP, teve a oportunidade de julgar Super Stakes ANCR 2019 e todos os eventos da ABQM, além de outras provas. Apesar dessa experiência, a edição 2019 do Rédeas de Ouro será a primeira. “Já julguei Cavalos Crioulos, mas nunca em evento de raça. Estou muito feliz! É uma honra. As expectativas são as melhores, tendo em vista o grande nível técnico e também toda a estrutura de organização”, projetou.

O Rédeas de Ouro 2019 também será o primeiro para Wadson Lander. Natural de Campo Grande/MS, é juiz há uma década com trabalhos junto à ANCR no Derby, Potro do Futuro e Super Stakes. “Será a minha primeira vez julgando esse evento, mas sei que é lindo e de alto nível de competição entre os concorrentes, tanto cavalo quanto cavaleiros e proprietários. Vai ser um grande prazer julgar esse evento maravilhoso da raça Crioula. Estou ansioso”, revelou.

O paranaense Giovani Bornancin, natural de Palmeira, estará no Rédeas de Ouro 2019 como juiz de equipamento. Com a experiência de uma década, participou de inúmeros eventos, como o próprio Rédeas de Ouro em duas oportunidades. “Já julguei vários da ANCR, como Potro do Futuro, Derby e Super Stakes”, contou.

Fonte: ABCCC