Publicada em: 10 de novembro de 2017

Crioulo sai na frente nos Jogos Equestres Mundiais

Primeira classificatória, realizada nesta sexta-feira, consagrou F5 Licurgo dos Tapajós

O ginete Roberto Jou, montado em F5 Licurgo e com o prêmio em mãos

O cavalo crioulo de rédeas saiu na frente na classificatória para os Jogos Equestres Mundiais (FEI World Equestrian Games 2018 – FEI WEG 2018, no termo em inglês), marcados para setembro do próximo ano na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, o ginete Roberto Jou e seu companheiro de sela, F5 Licurgo dos Tapajós,  garantiram as primeiras pontuações ao vencer por 222,5 pontos. A etapa aconteceu em Avaré, no interior de São Paulo, e contou com 23 competidores de diversas raças.

“È uma mistura de emoções que eu não consegui direito descrever. Estou muito contente e acredito que a primeira fase foi concluída. Agora tem as próximas. Essa é nossa missão, passar essas três fases e classificar, aí vem mais uma missão que é subir no pódio na Carolina do Norte, nos Estados Unidos”,  disse Roberto assim que soube de sua vitória.

O ginete é natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Chamado de loiro, o cavalo tostado, F5 Licurgo dos Tapajós, é filho do Senhor de Santa Tereza e Onda Perau, de propriedade da Cabanha Marca dos Santos, de Viamão, também no Rio Grande do Sul, dos criadores Marco Sanchonete e Francisco Borges.

De acordo com o diretor de Rédeas da ABCCC (Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulo),  Antônio Corrêa, a pontuação atingida pelo conjunto é excepcional. “Se já fosse pelo mundial seria para ficar entre os cinco primeiros cavalos. Está fazendo um feito na história”, ressaltou Corrêa.

Os Jogos Equestres Mundiais são como a Copa do Mundo no Futebol, sendo o campeonato mais importante entre as raças de cavalos, envolvendo diversas modalidades. O evento também acontece de quatro em quatro anos, e participam aqueles que vencem as classificatórias.

“Estamos montando uma equipe que representará o nosso país no ano que vem. E já estou treinando quatro cavalos para o próximo mundial, que acontece em 2022”, informou o diretor.

As próximas etapas estão agendadas para os meses de março e maio. O time brasileiro será composto por seis cavalos, sendo quatro conjuntos titulares e dois de reserva. O cavalo que participa do campeonato tem que ter sete anos ou mais, como consta no regulamento da Federação Equestre Internacional (FEI).

Loiro, o campeão  

Nas pistas de competição, F5 Licurgo dos Tapajós já tem um currículo extenso. Logo na sua primeira prova destacou-se ao participar do Rédeas de Ouro. Campeonato este, que é bicampeão em duas categorias, principal e amador.  

 

Por Bárbara Siviero | Canal Rural