Publicada em: 11 de agosto de 2017

Conheça a história dos cavalos que lideram o Freio de Ouro

Desde que a ABCCC divulgou o ranking dos 96 cavalos classificados para a grande final do Freio de Ouro 2017, a pontuação alcançada com todo o mérito por AM Gaita e Arroyto do Canguçu, vem chamando atenção.

Os dois equinos lideram a disputa até aqui em suas respectivas categorias e são, portanto, os favoritos a conquistar o título do campeonato, tendo demonstrado excelente desempenho nas provas que competiram.

AM Gaita

 

Arroyto do Canguçu

Campeã desde cedo

AM Gaita levou o Bocal de Ouro na categoria fêmeas com 21.208 pontos, confirmando seu destino de campeã. Sérgio Augusto Amaral, criador da Cabanha Sol Brilhante e proprietário de Gaita, conta que ela foi um dos primeiros animais adquiridos por ele há aproximadamente seis anos, em um remate no município de Uruguaiana (RS). A égua foi um presente de aniversário para o filho mais velho, Marcelo Augusto Amaral, e logo de cara já ganhou a Exposição Morfológica que acontecia na cidade.

Quanto ao desempenho da égua na final do Freio, Sérgio diz que as expectativas são ótimas, “mas sempre com humildade, pois a disputa tem muitos animais bons”. No entanto, o criador ressalta que acredita muito no trabalho que vem sendo realizado pelo ginete Cláudio Fagundes, dizendo que ele é dedicado e competente.

Claudio, por sua vez, é só elogios para AM Gaita. Segundo ele, “a égua é boa e inteligente desde o início do treinamento”, que começou há menos de um ano.

O ginete também conta que agora a preparação é praticamente toda voltada ao condicionamento físico do animal, pois a prova exige muito nessa parte. Sendo assim, Fagundes treina com Gaita três vezes por semana, de duas a três horas por dia, com foco no trote e no galope.

Um cavalo com memória afetiva

Filho do campeão BT Lucero com Vespa da Magnólia, Arroyto do Canguçu tem nove anos e faz parte da primeira geração de cavalos que nasceu em Santa Vitória do Palmar (RS), onde fica a Estância Santa Teresinha, do criador Mauro Mabilde.

Ele conta que todos os cavalos nascidos nessa época, quando a Estância se estabeleceu na cidade fronteiriça com o Uruguai, foram batizados com nomes de locais pertencentes à região.

Arroyto, por exemplo, é o nome de um distrito de Santa Vitória que remonta à infância de Mauro. Ele costumava frequentar o lugar com o pai para caçar quando criança.

E essa memória afetiva que Arroyto traz em seu nome é uma demonstração do carinho especial que o criador nutre por seus familiares e amigos e que, de certa forma, vem desenhando sua trajetória.

Mauro aprendeu a gostar de cavalo com seu avô, José Francisco Campello Duarte. E a paixão pelo animal falou tão alto, que o proprietário da Estância Santa Teresinha acabou optando por deixar a carreira que havia construído em outra área para se dedicar exclusivamente aos equinos.

A relação de amizade que a família Mabilde mantém com os pais de Fabricio Barbosa há anos, também acabou resultando na parceria de sucesso formada por Arroyto e o ginete.

O cavalo foi domado por Gerson Maciel e começou a ser treinado por outros dois ginetes antes de chegar às mãos de Fabricio Barbosa. E foi apenas com ele que o cavalo conseguiu de fato atingir todo o seu potencial, avalia Mauro, que ainda completou dizendo que o ginete é muito dedicado.

Vivendo ótima fase, Fabricio venceu três classificatórias neste ciclo do Freio de Ouro: Brasília, Itu e Chapecó. Nesta última, conduzindo Arroyto do Canguçu, alcançou 21.415 pontos.

O ginete destaca que treina Arroyto há mais de um ano e que o cavalo tem um temperamento forte, exigindo muita dedicação de tempo. Mas o esforço valeu a pena. Agora, de acordo com Fabricio, o foco da preparação é manter o condicionamento físico e a saúde do animal para a decisão do campeonato mais importante da raça treinando diariamento (menos aos domingos) por, pelo menos, trinta minutos.

Agora é esperar e torcer para que AM Gaita e Arroyto do Canguçu mantenham o ótimo desempenho e consigam se dar bem na grande final do Freio de Ouro 2017, que acontece entre os dias 24 e 27 de agosto, durante a Expointer, em Esteio, no Rio Grande do Sul.

Por Yahell Bonfim | Canal Rural.