Publicada em: 7 de fevereiro de 2016

ABCCC investe em cursos de capacitação

Pelo menos quatro estados brasileiros devem se preparar para receber o Curso de Formação de Mão de Obra oferecido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Embora ainda não tenha sido definido quais munícipios vão sediar o curso, a previsão é de que eles ocorram nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Distrito Federal até o final de 2016.

Abcc

A expansão da raça é um dos principais fatores que levaram a ABCCC a ofertar o curso. Com a qualificação da mão-de-obra dos criatórios, a entidade pretende zelar pelo bem-estar dos animais que vivem longe do Sul do país. “Nós levamos o cavalo pra lá e agora vamos levar conhecimento”, afirma o gerente de Eventos da ABCCC, Ibsen Votto.

Além disso, é possível que a iniciativa também acabe contribuindo com o progresso dos animais dos criatórios da região dentro das pistas do cavalo Crioulo. Uma vez que, melhores informados sobre as peculiaridades da raça esses criadores podem concorrer em condição de igualdade com aqueles que vivem no cerne da criação. “Através do desenvolvimento das pessoas que lidam com o cavalo o criador terá resultados melhores”, explica Votto.

No último ano, o crescimento da manada da raça Crioula no Brasil em 2015 atingiu 6,4% e registrou exemplares em todos os Estados brasileiros. O cavalo Crioulo avançou em todas as regiões do país e fechou 2015 com 402.341 animais ante os 377.882 registrados em 2014. O Centro-Oeste saiu na frente com 13,5% de crescimento, seguido pelo Norte com 11%, Nordeste com 10,1% e Sudeste com 8,1%. Na região Sul o aumento chegou a 6,2%.

Além disso, estudo da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP) realizado em 2012 aponta que os Crioulos movimentam por ano na economia R$ 1,28 bilhão e geram cerca de 240 mil empregos diretos e indiretos.

O conteúdo do curso pode ser desde manejo básico até outros mais complexos, como a doma. O núcleo organizador deverá recomendar o tema mais adequado de acordo com as necessidades dos criadores da sua região.

Foto: ABCCC